Mulher taxista é agredida a socos por motorista de aplicativos em Curitiba

Uma motorista de táxi de aproximadamente 50 anos foi agredida com socos e pontapés por um motorista de aplicativo na tarde do dia 19 último, em plena Avenida Batel, uma das mais movimentadas e importantes de Curitiba.

Segundo informações da União dos Taxistas de Curitiba (UTC), o caso aconteceu no início da tarde e revoltou toda categoria. A vítima do ataque ficou ferida e o agressor fugiu do local.

“A taxista encostou ao lado do motorista de aplicativo, que estava parado nas vagas exclusivas para os táxis, e pediu para que ele saísse dali, já que pela lei, eles não podem usar essas vagas. Eles bateram boca e ela encostou o carro mais na frente. Quando ela saiu, o clima esquentou”, disse Paulo Toledo, presidente da UTC.

Quando começaram a discutir fora dos carros, o homem agrediu a taxista. “Eles sempre usam as vagas exclusivas para os táxis e volta e meia dá bate-boca. Mas esse covarde agrediu uma senhora de mais de 50 anos”, disse Toledo. A vítima foi ao 1° Distrito Policial, na Rua André de Barros, para registrar boletim de ocorrência.

O presidente da UTC lamentou as agressões e pediu para que os taxistas não ajam em represália. “Eu falo sempre para a classe agir com responsabilidade. Com certeza esse vai ficar entocado um tempo, pois todo mundo já sabe a placa. Mas se alguém avistar, recomendamos que avisem a polícia”.

A UTC pede mais rigor ao poder público municipal na fiscalização. Pela lei aprovada pelo prefeito Rafael Greca, os motoristas de aplicativos não podem parar para buscar ou deixar passageiros na área de embarque e desembarque dos taxistas. “A medida é cobrar do poder público que se cumpra a lei, o decreto do Greca. Os motoristas de aplicativos fazem isso diuturnamente para prejudicar taxistas, que já enfrentam problemas sociais”, concluiu.

Por: Eduardo Luiz