Taxistas do Fazendinha levantam a bandeira rosa

Dorothy Lúcia Bruhmuller se dedica a essa iniciativa pelo terceiro ano consecutivo.

Essa não é a primeira e nem vai ser a última vez que os profissionais, literalmente, vestem a camisa em nome da causa

Outubro é um mês voltado para a conscientização das mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e do câncer de colo do útero. O movimento começou nos anos 1990, em Nova Iorque, quando aconteceu a primeira Corrida pela Cura. Esse marco histórico influenciou vários outras iniciativas e, aos poucos, a causa ganhou proporções mundiais. Atualmente, pequenas atitudes surtem  grandes efeitos nessa luta contra o câncer.

Os taxistas  do Fazendinha coloriram o look para demonstrar o seu engajamento.
Os taxistas do Fazendinha coloriram o look para demonstrar o seu engajamento.

No bairro Fazendinha, da capital paranaense, os taxistas coloriram o look para demonstrar o seu engajamento. Com a liberação da Urbs, a cor rosa ganhou destaque nas camisetas usadas pelos taxistas em outubro, muitas vezes acompanhadas pelos lacinhos da campanha.

Dorothy Lúcia Bruhmuller, que é taxista desde 2014, se dedica a essa iniciativa pelo terceiro ano consecutivo. Tudo começou depois de uma conversa que ela teve com uma passageira, que estava enfrentando a doença. Ao perceber que a conversa fez uma diferença positiva naquela luta contra o câncer, Dorothy entendeu que poderia fazer muito pela causa através desse tipo de ação.

A taxista conta que a atitude tem recebido vários elogios e que, inclusive, alguns passageiros a abordam justamente para conversar sobre o assunto. “Me motiva muito saber que,  com um gesto tão pequeno, posso fazer o bem a uma pessoa. Acredito que, só por mostrar que ela não está sozinha nesta luta, já conseguimos fazê-la mais feliz”, afirma Dorothy, ressaltando que se sente realizada em poder ajudar o próximo. “Faço com todo amor!”, enfatiza.

Edição Impressa

Videos