Uma doce homenagem

Hermínia Gantzel foi a primeira taxista de Curitiba
Hermínia Gantzel foi a primeira taxista de Curitiba

Taxista realiza ação para o Dia das Mulheres

O Dia Internacional das Mulheres, celebrado anualmente em oito de março, relembra as lutas sociais, políticas e econômicas das mulheres, destacando a importância do empoderamento feminino para uma sociedade mais justa.

Doroti Lucia distribuiu bombons às suas passageiras
Doroti Lucia distribuiu bombons às suas passageiras

Infelizmente, o machismo e o assédio contra mulheres ainda é intrínseco no dia a dia da de diversos grupos. Justamente por isso, quando uma mulher é atendida por uma pessoa do mesmo gênero a confiança e satisfação é outra. E quem pegou corrida com Doroti Lucia teve uma alegria ainda maior.

Durante ação em alusão ao Dia das Mulheres, a taxista distribuiu às suas passageiras bombons com mensagens de felicitação. “Além de entregar os chocolates para as clientes também distribuí entre minhas colegas taxistas. Nós também somos mulheres, então nada mais justo”, comentou Doroti.

Pequenas atitudes fazem grande diferença. E disto a taxista sabe muito bem. Mesmo que de maneira singela, Doroti não mede esforços para chamar atenção a causas importantes. Ela também realiza ações em alusão ao Outubro Rosa e ao Novembro Azul, sempre pensando que o taxista tem um papel importante para levar informação e ajudar a formar opinião.

O táxi e a mulher

A taxista também repetiu o gesto entre suas colegas de trabalho
A taxista também repetiu o gesto entre suas colegas de trabalho

Wilma Russey foi a primeira mulher taxista no mundo, dedicando boa parte de sua vida ao transporte de nova-iorquinos e turistas em torno da cidade.

Russey começou sua carreira como taxista no Ano Novo de 1915. Além de ótima motorista, ela também era uma mecânica especializada e poderia reparar carros melhor do que a maioria dos homens.

Anos depois, em 1950, foi a vez de outra pioneira fazer história. Naquela época a maioria das moças curitibanas se preocupava em arranjar um “bom partido” – obedecendo aos padrões sociais da época, mas uma jovem do bairro Seminário fugia a regra.

Aos 16 anos, Hermínia Gantzel escolheu trabalhar, ao invés de ir às salas de cinema e confeitarias do centro da cidade. Com o apoio do pai, ela fez o teste de direção para retirar a carteira de motorista e, apesar dos apuros durante o exame, passou de primeira.

Hermínia Gantzel foi a primeira taxista de Curitiba
Hermínia Gantzel foi a primeira taxista de Curitiba

Com habilitação em mãos, Hermínia encontrou no documento a possibilidade de ganhar dinheiro. Logo, começou a trabalhar como motorista em um dos veículos da frota de “carros de aluguel”.

A profissão, nunca antes exercida na capital paranaense por uma mulher, rendeu-lhe o reconhecimento como primeira taxista curitibana do sexo feminino.

Se hoje em dia vemos muitas mãos femininas ao volante, é graças a mulheres como Russey e Hermínia. Está aí a importância de lembrar desses ícones.

A primeira taxista do mundo, Wilma Russey, também era mecânica
A primeira taxista do mundo, Wilma Russey, também era mecânica